Como fazer mudança residencial: Mudanças DF

Mudar de casa ou de apartamento pode ser trabalhoso, mas não é por isso que precisa ser motivo para dor de cabeça. Apesar de cansativa, a mudança residencial é um momento muito importante para identificar com clareza o que deve seguir na sua vida e o que pode ser descartado. Mais que uma troca de local físico, é também um ótimo momento para mudanças internas e desapegos, além de ser o momento ideal para se fazer doações e reciclagens.

Fazendo uma seleção bem criteriosa, é possível adquirir itens novos e ousar na disposição dos móveis e decorações no novo lar. Mudanças DF é o momento ideal para abrir a cabeça para novas propostas, podemos transformar esse momento muitas vezes incômodo em um momento único e de reflexão sobre o que é útil ou não dentro da nova casa.

Ronaldo Luis Gonçalves, CEO do serviço de comparação de preços para serviços de mudanças em Brasília, um serviço grátis na internet de assistente de compras, revela uma série de práticas que podem ser aplicadas em diferentes fases da mudanças, desde a etapa anterior à arrumação na casa antiga até a parte de colocar os objetos na casa nova. “Uma dica essencial para todo o processo é fazer uma lista com tudo que se julga indispensável levar, assim fica mais fácil identificar o que pode ser deixado” diz Ronaldo.

Planejando a mudança residencial

Planejamento é sempre importante quando se trata de uma mudança residencial, já que esse não é um processo simples e, dificilmente, rápido. As oito dicas seguintes servem para tornar a fase de preparação o mais tranquila e menos desgastante possível, com o máximo de organização e limpeza.

  1. Descartar objetos: descarte materiais, roupas e tudo que não servir mais. Para identificar o que serve ou não, faça perguntas como “está quebrado?”, “tem conserto?”, “está muito velho?”, “é usado com frequência?”Isso ajuda na hora de identificar a necessidade do item em questão.
  2. Venda itens usados: é possível vender muitos itens de casa nos muitos sites disponíveis na internet, mudar-se é também um ato de renovação dos itens da casa. Venda os itens e reduza o custo do frete da mudança, mudanças menores custam mais barato e são mais rápidas de serem concluídas. Compre itens novos no destino.
  3. Juntar caixas de papelão: recolha o máximo de caixas de papelão possíveis, de diferentes tamanhos, mas sempre em bom estado, visto que elas precisam segurar o peso sem desmontar. Geralmente, supermercados e grandes lojas de eletrodomésticos dão as caixas de papelão que não serão usadas, é um jeito simples e sem custo de conseguir o material.
  4. Separar jornais: separe jornais para embalar objetos mais frágeis, pois eles serão essenciais para que nada seja quebrado na hora de encaixotar tudo.
  5. Faça listas: as listas ajudam na hora de organizar para qual ambiente da nova casa é destinado cada objeto e são essenciais nessa fase da mudança em que tudo é organizado por caixas; assim, cada uma delas será levada ao local correto quando chegarem ao novo lar.
  6. Escreva “frágil” nas caixas com objetos delicados: pode parecer fútil, mas essa dica é muito importante quando existem outras pessoas ajudando na mudança. Com a palavra “frágil” escrita nas caixas, todos tomarão mais cuidado e os objetos mais delicados correm menos risco de se quebrarem no meio do trajeto.
  7. Identifique as caixas: utilize fita crepe e adesivos específicos para embalagens, que não descolam com facilidade, para descrever o que contém cada caixa, assim o momento de identificação das peças fica mais fácil.
  8. Comece empacotando objetos menos utilizados: sempre deixe por último os itens que são mais utilizados, assim não se corre o risco de ter que abrir uma caixa ou um pacote para pegar uma escova de dente, por exemplo.
  9. Providencie plástico-bolha: o plástico-bolha é importante para embalar peças finas e delicadas, assim como o jornal. É sempre bom ter os dois à mão para decidir qual é melhor para determinado item.
empresa de mudanças DF
Organização de mudanças DF

Como organizar a sua mudança

Depois do planejamento vem a parte de colocar a mão na massa e organizar todos os objetos. Dez passos básicos, listados abaixo a partir das informações de Paula, vão ajudar o morador a não ter nenhum problema com a parte do planejamento, de forma que tudo saia como pensado.

  1. Embalar: embale primeiro o que não se usa no dia a dia e deixe por último os itens do cotidiano.
  2. Separar os tamanhos das caixas: utilize as caixas pequenas para embalar pequenos itens de cada cômodo, especialmente objetos de decoração. As caixas médias são boas para objetos maiores como eletrodomésticos e utensílios de cozinha. Opte sempre por caixas pequenas e médias pois são mais fáceis de carregar.
  3. Etiquetar: é essencial para a organização sempre etiquetar as caixas para que se saiba o que está dentro, mesmo quando as caixas são diferentes e parece fácil saber o que há em cada uma. O processo de mudança é cansativo e quase nunca feito somente por uma pessoa, por isso essa é uma das partes mais importantes de toda a organização.
  4. Reforçar a parte de baixo das caixas de papelão com fita adesiva: é muito importante que as caixas estejam em bom estado, mas é bom dar uma “mãozinha” e reforçar bem principalmente aquelas que servirão para armazenar mais peso
  5. Embalar objetos delicados com roupa de cama: aproveite os cobertores e edredons para embalar objetos grandes e delicados, como um abajur, por exemplo. Assim, as roupas de cama maiores não precisarão ser embaladas separadamente e ainda ajudarão a manter os objetos seguros
  6. Armazenar roupas em malas de viagem ao invés de caixas: essa é outra maneira de utilizar um objeto para outra função; as malas já terão que ir para a casa nova, nada mais natural do que enchê-las com as roupas. Além de salvar espaço, é mais higiênico, principalmente quando se trata de lingerie e roupas mais finas.
  7. Evitar sacos plásticos: os sacos plásticos são menos resistentes, por isso é melhor utilizá-los apenas para embalar coisas pequenas e que não sejam frágeis.
  8. Faça pacotes com os parafusos e outros itens pequenos: utilize pequenos saquinhos para embalar os parafusos e outras peças pequenas para que não se percam no meio das outras caixas de mudança e coloque junto com o móvel ou objeto a qual pertence.
  9. Cobrir quadros com papelão: coloque o papelão no quadro e amarre-o com uma corda antes de embalá-lo com plástico-bolha, assim a peça ficará mais segura de não sofrer arranhões ou danos.
  10. Enrolar tapetes e carpetes: para que ocupem menos espaço e não peguem poeira na mudança, a dica é enrolar os tapetes e carpetes e amarrá-los com uma corda ou até mesmo cadarços.

Como embalar itens para a sua mudança

Esse pode ser um momento difícil na hora de guardar os diferentes itens da casa, cada objeto tem uma especificidade e existem diferentes maneiras de fazer as embalagens para que nada corra o risco de quebrar ou sofrer danos na hora da mudança.

  1. Alimentos e líquidos: Utilize sacos plásticos fechados hermeticamente para guardar garrafas, frascos e recipientes já abertos, eles evitam vazamentos.
  2. Cerâmica e vidro: todo o material que possa quebrar no momento da mudança deve ser embalado com jornal e um a um. As tampas também devem ser embaladas separadamente.
  3. Colchões: cubra os lados dos colchões com lençóis do tipo envelope, isso evita que eles se sujam. Os lençóis são facilmente laváveis, diferentemente dos colchões.
  4. Objetos pequenos: para os objetos pequenos é essencial ter uma caixa também pequena para aplicá-los e não perdê-los. Para uma organização mais efetiva é indicado separá-los por categorias e embrulhar com papel colorido para que sejam encontrados facilmente.
  5. Materiais ou objetos desmontados: o ideal é guardá-los em plásticos para que não se percam no momento da mudança, nunca esquecendo de etiquetá-los com a devida descrição.
  6. Utensílios de cozinha: os utensílios de cozinha como pratos, copos de vidro e porcelanas são delicados e devem ser embalados um a um com jornal ou plástico-bolha — além de identificados na caixa de “frágeis”.
  7. Madeira: para proteger móveis de madeira de possíveis arranhões durante a mudança use cobertores e edredons para embalá-los.
  8. Livros: os livros podem ser colocados tanto na vertical quanto na horizontal, desde que sejam todos colocados em uma única caixa, ou no menor número de pacotes possível.
  9. Computadores e eletrônicos: o indicado é embalar os computadores e eletrônicos em suas embalagens originais, já que têm o tamanho perfeito e ainda possuem pequenos protetores de isopor ou papelão.

Como organizar os itens depois no destino

Esse é o momento de desempacotar e colocar tudo no seu novo lugar. Engana-se quem pensa que nesse momento a mudança já acabou e que é só abrir as caixas aleatoriamente e guardar os objetos. A organização também é muito importante para que as caixas não fiquem dias, ou até meses encostadas e a mudança nunca se concretize de fato. A gerente da marca Dona Resolve elenca sete dicas importantes para essa etapa da mudança.

  1. Onde deixar as caixas: como as caixas estarão identificadas, o importante nesse momento é deixar cada uma em seu cômodo específico, isso facilita a organização e não deixa que nenhum objeto se perca.
  2. Por qual cômodo começar: é indicado iniciar a organização pelo banheiro e depois seguir para a cozinha e quarto respectivamente, pois existem alimentos e objetos que serão utilizados com maior frequência.
  3. O que desempacotar primeiro: é importante retirar primeiramente os objetos frágeis que foram identificados na caixa, pois assim o risco de quebrar algum item é menor.
  4. Ainda é possível desapegar: verifique, após desempacotar as caixas, se ainda existem peças ou objetos de qualquer tipo que ainda podem ser descartados. Com a perspectiva do novo espaço é possível identificar novos itens que podem ser dispensados.
  5. Desempacote os itens mais utilizados primeiro: talvez não seja possível arrumar toda a cozinha em um dia, por exemplo, então a dica é separar os itens principais como pratos, talheres, copos e panelas, assim o acesso a materiais que serão utilizados no dia a dia fica mais fácil.
  6. Em qual ordem colocar os objetos: caso seja possível, o ideal é seguir a ordem do maior para o menor. Por exemplo: no quarto, montar o armário e a cama para depois desempacotar as roupas e os itens decorativos.
  7. Organize o armário: essa é uma ótima oportunidade para organizar o armário e aproveitar para separar as peças por cor, utilidade e estação. Assim o guarda-roupa será organizado de forma eficiente após a mudança.

Apesar dessas dicas facilitarem todo o processo de mudança, é importante ressaltar que tudo deve ser feito com bastante paciência. Afinal, esse é o momento de colocar tudo em seu devido lugar e deixar a casa nova aconchegante e com personalidade.

Devo contratar um serviço de mudança?

Existem algumas soluções na hora de realizar a mudança, uma delas é contratar um serviço especializado para ajudar em todo o processo. “Para isso, é importante verificar indicações confiáveis e sempre confirmar horários para evitar surpresas e possíveis atrasos”, aponta Paula Roberta da Silva.

Caso o morador deseje realizar a mudança por conta própria, não há nada que as empresas especializadas fazem que não seja possível fazer com paciência, planejamento, organização e limpeza, além de, é claro, vontade. A profissional acrescenta: “o indicado é montar uma força-tarefa com os amigos e familiares”.

9 Excelentes dicas na hora de se mudar

Para facilitar nesse momento que exige tanta dedicação e ajudar para que nada seja esquecido, cabe observar os nove pontos abaixo, que dizem respeito a orientações gerais e práticas que não podem passar despercebidas antes de fazer a mudança.

  1. Fazer lista com cronogramas para que a mudança seja feita com tranquilidade;
  2. Verificar todos os documentos importantes;
  3. Checar o que precisa ser levado antes de iniciar a mudança;
  4. Comunicar o novo endereço em locais necessários para receber correspondências corretamente;
  5. Verificar a voltagem da nova casa e checar se os eletrodomésticos são da mesma categoria;
  6. Verificar questões de seguro pois normalmente elas variam de acordo com o local da moradia;
  7. Se possuir animais de estimação, verifique antes como será feito o transporte para que seja com segurança;
  8. Providenciar com antecedência mínima de um mês todos os materiais para a mudança, como fitas adesivas, jornais, caixas de papelão, etc.
  9. Caso more em prédio, informe ao porteiro a ao síndico o dia da mudança, assim evita-se possíveis problemas de deslocamento.

Seguindo essas dicas simples e as orientações da profissional para cada fase do processo, a mudança pode deixar de ser uma dor de cabeça para se tornar menos cansativa, se cada etapa for planejada com cuidado e atenção. Além disso, se a mudança de lar representar também uma mudança de vida, pode ser muito mais agradável.

Informe, compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

CAMPARTILHE E DESTAQUE-SE

Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin