Terminal da Embraport vai contratar 1.500 na região

06-01-2012 21:01

A Empresa Brasileira de Terminais Portuários (Embraport) começará, em julho próximo, a contratar os cerca de 1.500 profissionais que vão atuar na operação de sua futura instalação no Porto de Santos. A unidade, que movimentará contêineres e etanol, está sendo construída na Margem Esquerda do complexo, na Área Continental de Santos. A previsão é que os primeiros 350 metros de cais sejam entregues em dezembro deste ano. Em outubro de 2013, 660 metros de cais da etapa inicial do projeto devem estar concluídos.

Os prazos foram apresentados na manhã de ontem pelo diretor de contrato da Odebrecht Infraestrutura, Henrique Antero Pio Marchesi. Segundo o executivo, as contratações terão início este ano para os futuros funcionários passarem por um treinamento. "A partir do meio do ano, já devemos começar a contratar o pessoal para a operação do terminal. Vamos iniciar o período de formação da mão de obra. Esse processo terá andamento até o próximo ano".

A intenção é preparar pessoas da própria região, para que não seja necessário buscar trabalhadores em outras cidades, explicou o diretor. Para isso, a Odebrecht pretende ampliar o Programa Acreditar também para a fase operacional do terminal.

Hoje, o Acreditar está voltado a trabalhadores da construção civil. Há vagas para ajudante de produção, armador, pedreiro, carpinteiro e vibradorista. Uma boa parte dos profissionais contratados para a implantação da Embraport se formou no programa.

O projeto é desenvolvido pela Odebrecht em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome e a Prefeitura de Santos. O objetivo é oferecer qualificação profissional e inclusão no mercado de trabalho. Até agora, 665 pessoas já se formaram. Após a realização dos cursos, os alunos são direcionados para obras da própria Odebrecht.

"Vão ter diversos cursos voltados para a área de operação. Queremos adotar o mesmo procedimento que foi feito para a construção. Além disso, pretendemos incentivar os funcionários que trabalharam na construção a também atuarem na operação. Seria mais fácil, pois estão ambientados, conhecem a empresa, já tem a nossa cultura. Facilitaria muito essa adaptação", explicou Marchesi.

Os interessados em ingressar no Acreditar podem se inscrever diretamente na Administração Regional da Zona Noroeste, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 456, em Santos.

Obra - Além do início da contratação de 1.500 trabalhadores, o diretor destacou que serão chamados ainda cerca de 300 profissionais, até o meio do ano, para as obras, que vão atingir seu pico entre junho e julho. Atualmente, 1.200 funcionários fazem o serviço, que já está 35% concluído.

Apenas no centro industrial, local onde é produzido o material utilizado na obra, atuam 500 profissionais. A perspectiva de Henrique Marchesi é que 70%dos trabalhos sejam encerrados até dezembro, quando terá início a operação em um trecho do cais. "Em outubro, já vamos estar aptos a receber os equipamentos (de movimentação de carga). Em dezembro, terá início a operação comercial, mas com somente 350 metros de cais. Em maio de 2013, concluiremos mais uma etapa. Em outubro, terminaremos os 660 metros da primeira etapa".

O diretor condicionou a continuidade do projeto à demanda do mercado. "Se o mercado reagir bem, podemos ter a sequência natural dessa etapa". O terminal pode contar com até 1.100 metros de cais.

Atualmente, a obra está em fase de cravação de estacas. Ao todo, são duas mil, conforme constatou A Tribuna ao percorrer alguns trechos da área de 848.5 mil metros quadrados onde o terminal está sendo construído. A fase de terraplanagem do terreno foi concluída. Em paralelo ao processo de estaqueamento, ocorre a dragagem de aprofundamento, para 15 metros, dos futuros berços de atracação do empreendimento.

A previsão é que, até dezembro, esteja pronta parte da retroárea (342 mil metros quadrados), a área administrativa (72 mil metros quadrados, com edificações e gates) e duas pontes, de 100 e 800 metros.

Empreendimento de R$2,3 bilhões, o terminal da Embraport terá capacidade para operar 2 milhões de TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés) e 2 bilhões de litros de etanol por ano, quando totalmente implantado. A Odebrecht Infraestrutura é a empresa responsável pela construção da unidade, após vencer a licitação do serviço. E, desde 2009, se tornou proprietária de 24,5% das ações da Embraport.

Fonte: A Tribuna / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.

 

 

Voltar