Revisão tarifária gera expectativa no setor de transporte ferroviário.

28-09-2012 20:20

Publicadas no Diário Oficial pela Associação Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em 10 de setembro, as resoluções quanto às tarifas das ferrovias brasileiras estão sendo repensadas. Depois de 15 anos desde a última concessão no setor, o corte médio no teto da tarifa proposto pela associação é de 25%.

A finalidade é repassar aos usuários do transporte ferroviário o valor ganho pelas empresas, o que deve ser feito a cada dois anos, de acordo com o contrato de concessão das ferrovias - e não foi realizado nas últimas duas vezes em que deveria. Neste período, houve o crescimento em movimentação de cargas de mais de 87,6%, além do aumento de 111,7% na produção ferroviária brasileira, o que respaldaria o trabalho das empresas e concede a elas, neste momento, maior poder de negociação para que seja alcançado o percentual que pedem.

A nova tabela para 11 concessões ferroviárias, que tinha previsão para começar a vigorar em 25 de setembro, passou por fase de análise pela entidade que representa as concessionárias privadas de ferrovias de cargas no Brasil, a Associação Nacional dos Transportes Ferroviários (ANTF). As empresas associadas - América Latina Logística (ALL), Oeste, Paulista e Malha Sul, Vale, MRS Logística, Ferrovia Centro Atlântica, Transnordestina Logística e Ferrovia Tereza Cristina - deixaram que a associação avaliasse a viabilidade das novas regras, levando em conta aspectos técnicos, jurídicos e econômicos ao emitir seu parecer.

As resoluções da revisão das tabelas tarifárias alteraram o teto das concessionárias da ALL. Em nota divulgada no site da empresa, alegou que suas malhas ferroviárias sul, oeste e paulista sofreram reduções de 15%, 47% e 29%, respectivamente, além de estabelecer tarifas máximas para a malha norte da concessionária. Ao ser procurada, a empresa decidiu não se pronunciar no momento. A Ferrovia Tereza Cristina (FTC), assim como a Ferroeste, aguarda novas informações para tomar uma posição.

A expectativa é de que uma decisão quanto à revisão tarifária seja tomada em breve pela ANTF. O posicionamento do órgão será dado após uma reunião conjunta com os presidentes das instituições associadas.

Fonte: Terra - Adaptado pelo Site da Logística.

 

Voltar