Reforma de 10 aeroportos pode não ficar pronta a tempo da Copa 2014.

12-09-2011 20:29

Um levantamento feito por um órgão do governo mostra que a reforma de dez aeroportos brasileiros pode não ficar pronta em tempo da Copa de 2014. E nos portos, as obras nem começaram.

Vai ser uma das maiores movimentações turísticas de todos os tempos. Durante a Copa de 2014, 600 mil visitantes estrangeiros e 3,7 milhões turistas brasileiros vão circular pelo país. A previsão é de um investimento de R$ 6 bilhões para os 13 aeroportos e os sete portos das 12 cidades-sede.

Um levantamento do Tribunal de Contas da União mostra que nenhum dos sete portos iniciou obras. Por e-mail, a Assessoria da Secretaria Especial de Portos informou que todas as obras serão concluídas em dezembro de 2013.

O setor aéreo também preocupa: há 15 dias o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada divulgou um estudo sobre a situação das obras nos aeroportos das cidades-sede. O documento, que leva em conta apenas as obras nos terminais de passageiros, revela que dos 13 aeroportos, apenas um, o do Rio de Janeiro, tem obras em andamento. O relatório do Ipea afirma ainda que dez aeroportos não vão ficar prontos para a Copa de 2014.

O Ipea analisou os dados da Infraero e levou em conta o prazo médio de 92 meses, quase oito anos, necessários para a construção ou reforma de um aeroporto.

O coordenador de infraestrutura do Ipea, Carlos Campos, diz que o regime diferenciado de contratações e a criação da Secretaria de Aviação Civil podem mudar este panorama: "O RDC veio para exatamente dar mais agilidade às obras. Você tem a inversão de etapas e a questão de entrega da obra toda de uma vez para o empreiteiro fazer, que seria mais rápido, que evitaria alguns trâmites burocráticos", explica.

O presidente da Infraero admite que houve atrasos, mas garante que os aeroportos estarão prontos antes da Copa do Mundo: "Tivemos problemas na elaboração de projetos básicos, projetos executivos, tivemos problemas na licitação das obras. Mas tudo isso está sendo superado de forma que as obras terminam definitivamente em dezembro de 2013", afirma Gustavo do Vale, presidente da Infraero.

Fonte: G1 - Adaptado pelo Site da Logística.

Voltar