Obras da ferrovia Oeste-Leste são retomadas após acordo.

17-08-2011 21:27

Salvador - As obras da ferrovia Oeste-Leste (FIOL) foram retomadas ao mesmo tempo em que a Valec se ajusta ao termo de compromisso firmado, há oito dias, com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Este foi o tema da reunião extraordinária que aconteceu hoje (17), no auditório da secretaria da Indústria, Comércio e Mineração - SICM, entre a Valec e o consórcio construtor.

“O Ibama fez uma série de exigências no termo de compromisso e estamos montando uma estrutura que nos permita cumpri-las. As exigências são focadas no plano básico ambiental, que foi previamente aprovado pelo Ibama”, diz Neville Barbosa da Silva, superintendente de construções da FIOL/Valec.

O Ibama suspendeu a licença de instalação da obra, válida para os quatro primeiros trechos, no mês de julho, após o órgão constatar o descumprimento de exigências ambientais. Segundo relatório do Ibama, a estatal não havia realizado 14 das 39 ações exigidas como contrapartida ao impacto ambiental da obra. Entre eles ações de controle de atropelamento de animais e ações de monitoramento de qualidade de águas.

Nos próximos 60 dias, o Ibama fará duas inspeções nas obras para verificar se o plano está sendo cumprido. A primeira inspeção será no 30º dia e a segunda será próxima do segundo mês.

De acordo com Neville, a FIOL é hoje a obra mais importante da Valec. “Ela é a principal sob dois aspectos: o primeiro porque será a única ferrovia da estatal a ter um porto. O transporte de cargas não dependerá de outros modais, o que vai agilizar a logística e reduzir custos. O outro aspecto é a mudança de paradigma no modelo operacional do Brasil que é Norte-Sul. Vamos criar um grande potencial no sentido Oeste-Leste”, explica Neville.

A Ferrovia de Integração Oeste-Leste dinamizará o escoamento da produção do estado da Bahia e servirá de ligação dessa região com outros polos do país, por intermédio de conexão com a Ferrovia Norte-Sul. Incluída entre as prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Ferrovia de Integração Oeste-Leste terá 1.527 km de extensão e envolverá investimentos estimados em R$ 7,43 bilhões até 2014.

A FIOL ligará as cidades de Ilhéus, Caetité e Barreiras, entre outras, – no estado da Bahia – a Figueirópolis, no estado do Tocantins, formando um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto Sul e ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no norte do país atendidos pelas ferrovias Centro-Atlântica, Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás.

Fonte: jornaldamidia.com.br - Adaptado pelo Site da Logística.

Voltar