Nos portos, há falta de infraestrutura e atrasos.

23-04-2013 20:29

A falta de infraestrutura no Porto de Santos, o maior da América Latina, foi responsável por enormes problemas financeiros e logísticos em 2013. Até quem não entrou no porto pôde ver: os atrasos nos embarques geraram filas de caminhões na rodovia Cônego Domênico Rangoni, por onde os caminhões chegam ao porto.

A super safra de grãos agravou o problema, e os grandes congestionamentos duraram até meados de março. Mas o caminhoneiro Adalgirio chegou já no dia 18 de abril, e nem assim escapou completamente: ao chegar ao Porto de Santos, depois de quatro dias de viagem desde Sorriso (MT), com o repórter do G1, Dhiego Maia, de carona na boleia, era o 120º da fila.

Segundo a prefeitura de Guarujá (por onde os caminhões acessam o porto), algumas alternativas vêm sendo trabalhadas. A prefeitura pediu ao governo do Estado de São Paulo a recuperação da marginal da rodovia Cônego Domênico Rangoni, para que ela opere como via auxiliar, com uma faixa somente para caminhões de contêineres.

Outra opção para minimizar os congestionamentos é a construção de um acesso provisório, com 600 metros de comprimento e 50 metros de largura, que ligaria a Avenida Santos Dumont à rodovia Cônego Domênico Rangoni.

Como o terreno previsto para a obra (orçada em R$ 1,5 milhão) é particular - pertence às empresas Dow Química e Fassina - Estado e prefeitura não podem financiar as obras. Assim, empresas portuárias e retroportuárias que atuam na margem esquerda do porto de Santos decidiram custear a construção do acesso. O terreno, de 30 mil m², deverá ser desapropriado, mas só depois desse processo é que receberá uma obra definitiva.

No Porto de Santarém (PA), o motorista Biro-Biro - acompanhado pelo repórter do G1, Glauco Araújo, - teve mais sorte, e foi autorizado a descarregar as 48,1 toneladas de soja em apenas 31 minutos. Mas uma semana antes, foi mais difícil: foram 24 horas de espera, sinal de que ainda há trabalho a ser feito.

O G1 procurou a Secretaria Especial de Portos da Presidência da República para perguntar quais os planos para o porto de Santarém, mas não conseguiu retorno.

Fonte: G1 / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.

 

Voltar