Municípios brasileiros adotam medidas restritivas ao trânsito de caminhões.

16-01-2015 10:12

De acordo com o levantamento realizado pela NTC&Logística, mais de 100 municípios brasileiros já possuem algum tipo de restrição para a circulação de caminhões nas vias urbanas. Segundo as avaliações da consultoria ILOS, as principais medidas adotadas são: áreas ou vias de restrição de circulação e de carga e descarga; horários de restrição de circulação para carga e descarga; rodízio de placas; tamanho e peso dos veículos e impacto sobre os custos.

Gilberto Cantú, presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Paraná (Setcepar), acredita que somente as restrições não resolvem o problema dos congestionamentos e trânsito intenso. “Os caminhões acabam representando uma pequena fração do trânsito nas grandes cidades. Restringir ainda mais a circulação dos veículos não resolve o problema, somente prejudica os transportadores”.

O estudo mostra também os impactos das restrições sobre os custos para o setor de transporte de cargas. Com a substituição da frota de Veículo Urbano de Carga (VUC) por Utilitários os custos aumentaram 19,7%, a ampliação do turno de trabalho de motoristas e ajudantes representou elevação de 18% e a da operação noturna, 16,5%.

O empresário ressalta que a movimentação de cargas nos centros urbanos é fundamental para a economia do país e o abastecimento da população. “Os grandes centros brasileiros estão com dificuldades em conciliar o trânsito de pessoas e cargas no mesmo espaço, já que apresentam crescimento desordenado, falta de planejamento, baixo investimento em transporte coletivo de passageiros e falta de infraestrutura. Só que isso não pode recair somente em cima dos transportadores”, declara Cantú.

Entre as cidades que possuem restrições estão: São Paulo, São Luiz, Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Porto Alegre, Natal, Manaus, Maceió, Macapá, Goiânia, Fortaleza, Florianópolis, Curitiba, Cuiabá, Campo Grande, Boa Vista, Belo Horizonte, Belém, Aracaju, dentre outras.

Fonte: Porto e Gente / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.


Voltar