Ferrovia para ligar Minas à Bahia é orçada em R$ 10,6 bilhões.

01-07-2013 10:01

O custo de implantação da ferrovia que ligará Belo Horizonte a Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (BA), é de R$ 10,66 bilhões, segundo projeto de engenharia apresentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O trem deve possibilitar o escoamento de carga pelo Porto de Aratu. Os dois projetos ferroviários que cortam Minas (soma-se a esse a linha ligando Uruaçu, em Goiás, a Campos, no Rio de Janeiro) terão mais de R$ 30 bilhões dos R$ 91 bilhões de investimentos previstos na implantação de 10 mil quilômetros de trilhos. Os interessados na ferrovia podem encaminhar suas contribuições sobre o projeto até 19 de julho pelo site da agência reguladora ou pelo correio.

Foram estudadas três alternativas de traçado ligando os dois estados. Depois da definição dos percursos foi criada uma matriz na qual foram dadas notas com pesos diferentes para cada trecho. Na lista de elementos avaliados estão custo de implantação, prazo de execução, aspectos ambientais, características técnicas e captação da demanda. Os melhores resultados de cada subtrecho possibilitaram a elaboração de um quarto segmento.

Ou seja, o quarto trecho é o somatório dos melhores segmentos dos três primeiros, o que possibilitou a redução do custo em R$ 1,34 bilhão devido à diminuição do percurso em 41 quilômetros. Em Minas a ferrovia deve cortar 27 municípios (Santa Luzia, Pedro Leopoldo, Prudente de Moraes, Sete Lagoas, Curvelo, Montes Claros, Janaúba, entre outros), e 25 na Bahia. O trecho entre o Bairro Capitão Eduardo, em BH, e Sete Lagoas deve aproveitar o traçado existente, o que, além de reduzir custos, diminui consideravelmente o tempo de implantação. A expectativa é de que essa parte demore 18 meses para implantação, e o restante 44 meses.

Quase 200 obras de arte - O estudo contém dados para balizar a empreiteira durante a obra, como quantidade e localização e pontes, viadutos e túneis ferroviários e rodoviários, além de curvas e pátios de manutenção. Ao longo da ferrovia serão criados 191 obras de arte especiais (pontes e viadutos) para transpor cursos d'água e a cada 300 quilômetros deverá ser criado um pátio de manutenção. Tais construções devem garantir velocidade máxima de 80 quilômetros por hora para composições de carga. O percurso deve ser concluído em pelo menos 19 horas e 30 minutos, mas o tempo deve ser ainda maior se considerado que é preciso saber a velocidade média.

Em Minas, além desse trecho, está prevista a implantação da ferrovia Uruaçu (GO)-Campos (RJ). O prazo para envio de sugestões se encerra em 10 de julho. O traçado terá 1.706 quilômetros, cortando 55 municípios dos quais 41 estão em Minas, oito em Goiás, cinco no Rio de Janeiro e um no Distrito Federal. Ao todo, o custo de implantação previsto é de R$ 19,8 bilhões, se considerada o traçado mais barato dos quatro avaliados. O mais caro prevê investimento de R$ 28 bilhões.

Fonte: Estado de Minas / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.

 

 

Voltar