Denúncias de corrupção nos Transportes paralisam 500 obras.

05-09-2011 22:17

 

As denúncias de corrupção que provocaram uma crise no Ministério dos Transportes produziram efeitos visíveis nas estradas brasileiras.

Nas rodovias federais, em todo o Brasil, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) listou 500 pontes e viadutos com problemas. São obras em 20 estados e no Distrito Federal que foram suspensas depois das denúncias de corrupção. O maior número de obras paradas fica em Alagoas: 72. É o caso da ponte na BR-104, em Murici.

"A gente precisa ter muito mais atenção quando dirige", diz um caminhoneiro.

Perigo também em um viaduto na BR-040, em Minas Gerais. Ele foi construído na década de 1950. A mureta está em mau estado e o asfalto é ruim. O viaduto fica em curva no final de uma descida e foi projetado em uma época em que o tráfego pelo local era bem diferente. Aumentaram o número de veículos e o peso deles também.

"O excesso de carros tem gerados nas pontes um efeito que degrada mais rapidamente. Tem fissuras, a água penetra nessas fissuras e acelera processo de ruínas", diz o engenheiro Márcio Aguiar.

Algumas obras nem entraram na lista do Dnit, apesar da importância, como uma em um dos principais acessos a Belo Horizonte. Foi preciso montar uma estrutura de aço provisória e construir uma nova ponte porque a original, de concreto, que ficava ao lado, quase desabou.

A ponte na BR-381 teve que ser demolida. A nova deve ficar pronta em outubro. Vai custar R$ 30 milhões e está sendo construída sem licitação porque é um contrato de emergência. Segundo o Dnit, a rodovia tem um projeto de duplicação em andamento e várias pontes e viadutos vão ser reconstruídos. Mas o processo de licitação também está atrasado em função dos problemas no departamento.

Enquanto as obras não começam, quem passa pelo lugar precisa ficar atento. Em alguns trechos, as pontes estão em curvas fechadas e as muretas escoradas com pedaços de bambu, arame e madeira.

Sobre as 500 obras previstas para viadutos e pontes, o Dnit informou que está respondendo a questionamentos feitos pelo Tribunal de Contas da União, e que, depois das explicações e ajustes, pretende publicar os editais de licitação.

Fonte: G1 - Jornal Nacional - Adaptado pelo Site da Logística.

 
Voltar