Com protestos no Porto de Santos, navios fazem escalas em Paranaguá.

15-06-2012 20:34

Dois navios que fariam escalas no Porto de Santos, mas desistiram de atracar na região, escolheram o Porto de Paranaguá (PR) para fazer suas operações. As perdas são reflexo dos protestos dos trabalhadores portuários avulsos (TPAs) no cais santista, que já duram 17 dias.

De acordo com o superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, a distância entre o cais santista e o porto paranaense pode ter motivado a escolha.

"Com os trabalhadores mobilizados no Porto de Santos, os navios têm que buscar alternativas para poderem descarregar e seguir viagem. A localização do nosso porto e a proximidade com São Paulo são algumas delas, além da nossa disposição em atender", afirmou.

A primeira embarcação a fazer contato com o departamento de operações da Appa foi o Apollon Leader. O navio ficou fundeado na barra (região da costa fora da Baía de Santos) de Santos nos últimos dias, mas cancelou a escala por conta da longa espera.

Em Paranaguá, o Apollon Leader desembarcou máquinas agrícolas, veículos e peças. A carga foi distribuída entre os armazéns e outras áreas disponíveis no cais público.

"Já esperávamos esse reflexo da paralisação em Santos, mas não prevíamos que seria tão cedo. Na medida do possível, estamos recebendo esses navios e cargas, sem sacrificar as operações já previstas", disse o superintendente.

O outro navio é o Tokyo Car, que descarregou 69 carros da montadora alemã BMW e 39 máquinas e peças agrícolas no cais de Paranaguá. A carga, que teria como destino o porto santista, veio dos Estados Unidos.

Fonte: A Tribuna / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.

 

Voltar