BNDES deverá destinar R$ 23 bilhões para infraestrutura em 2012.

22-05-2012 21:25

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) prevê em seu orçamento liberar neste ano R$ 23,4 bilhões para projetos ligados a infraestrutura. O montante é 25% maior do que o registrado no ano passado, de acordo com o diretor do banco Roberto Zurli Machado.

Em seminário realizado nesta segunda-feira, durante o 7º Encontro de Logística e Transportes, promovido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Machado afirmou que o desembolso do BNDES está ligado a projetos que somam R$ 65 bilhões em investimentos na área para 2012.

A previsão é que o montante cresça nos próximos anos, com o governo dando prioridade a projetos que equilibrem a distribuição modal no transporte nacional. Os meios ferroviário e aquaviário, com construção de hidrovias e portos, devem representar a metade de tudo o que for transportado pelo país na próxima década, segundo projeção de Machado.

O sistema portuário é considerado pelo diretor do BNDES como o que mais precisa de investimentos e projetos. "O nosso ponto principal é fomentar modais com menor custo por quilômetro rodado. O sistema de transporte, principalmente, precisa ser desenvolvido para poder trazer mais competitividade à economia brasileira", disse.

De 2012 a 2015, a previsão do BNDES é de que sejam investidos até R$ 133 bilhões na infraestrutura do país. O banco deverá ser responsável pelo desembolso de um terço desse montante.

Apesar de ser considerado o setor de transporte com mais gargalos, os investimentos portuários até 2015 devem chegar a R$ 15 bilhões. Os investimentos ferroviários, por sua vez, têm previsão de somar R$ 45 bilhões. O desembolso do BNDES nesses dois modais será de 40% do total. O rodoviário continua sendo o principal modal de atração de capital: R$ 52 bilhões, com o banco financiando R$ 12 bilhões do total, enquanto o setor aeroportuário deverá receber a menor injeção de investimentos, com R$ 10 bilhões ao todo.

Fonte: Valor Econômico - Adaptado pelo Site da Logística.

 

Voltar