Antaq desenvolve índice para medir eficiência da gestão portuária.

15-08-2016 10:02

-

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) desenvolve um índice de eficiência para avaliar a gestão portuária. O novo indicador seguirá os moldes do Índice de Desempenho Ambiental (IDA), lançado pela agência em 2012 para verificar os avanços de práticas sustentáveis nos portos públicos. A ideia é criar entre 50 e 60 itens para avaliar as peculiaridades de cada um dos portos em relação à gestão. O medidor será um dos temas da reunião que a Antaq pretende realizar com representantes todas as autoridades portuárias até o final de agosto.
 
Pelos planos da agência, o IDA continuará aplicado aos portos públicos, além de seguir sendo ampliado para terminais portuários privados. A leitura dos primeiros resultados nos terminais privados deve ocorrer dentro de um ano. O IDA tem uma plataforma virtual para preenchimento de informações pelas administrações portuárias que informam, dentro de cada item, o que estão executando e de que forma. “Reforçamos o IDA e já estamos perseguindo buscar desenvolvimento deste índice (de gestão)”, contou o diretor-geral da Antaq, Adalberto Tokarski em entrevista exclusiva a Portos e Navios. 
 
Ele defende a importância do índice de gestão como ferramenta para buscar o perfil do gestor mais adequado para o porto. O diretor-geral entende que, diante de novos terminais de uso privado (TUP), o novo medidor de eficiência servirá para garantir a qualidade operacional do porto público através de uma boa gestão. A orientação é que a fiscalização dentro do porto público seja feita por fiscais da autoridade portuária e fiscais da Antaq. Um dos motivos é evitar o retrabalho. Tokarski diz que toda diretoria está alinhada na questão da gestão e acrescenta que, na maioria dos portos, já foi elaborado um manual de fiscalização conjunto. “Os portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR), por exemplo, estão indo muito bem e queremos que seja assim em todos os portos”, disse. 
 
Tokarski promete ampliar a interlocução com todo setor, não somente usuários e empresas, na busca de uma agenda mais efetiva. “Em relação às autoridades portuárias, buscaremos interlocução mais de perto, com visitas bem estruturadas para conseguir entender um pouco mais o outro lado no sentido mais fomentador das boas ações e também junto aos portos públicos brasileiros”, projetou Tokarski, que tomou posse como diretor-geral da Antaq no último dia 3 de agosto, na sede da agência, em Brasília. O mandato dele termina no dia 18 de fevereiro de 2018.
 

Fonte: Portos e Navios / Usuport - Adaptado pelo Site da Logística.

 

Voltar